Sunday, April 22, 2007

SOS TV!

Ontem tive um sonho! Ou seria um pesadelo?! Entrei na sala e, vai daí, vi uma rapariga desgrenhada, aos saltos... De um momento para o outro transformou-se em freira...
Fez-se luz! O panorama social e político do nosso País ia mudar. As nossas crianças iriam ter um espaço televisivo à medida das suas necessidades, enquanto crianças. Apesar de saber que se tratava de uma nova edição de uma série desengraçada, ainda tive esperança de que, agora, nesta Primavera que mais parece um Outono, surgisse qualquer coisita que não tratasse mal as inteligências dos nossos meninos e meninas...
Não! Isto ainda é pior que dantes!
«Não sejas tão exigente!» - disseram-me ao ouvido os meus botões. «Fica mais um bocadinho!» - continuaram eles!
Lá fiquei. E que vi eu?
Uma antologia de desrespeito pelas mais elementares regras de convivência.
Um jardim de flores artificiais e murchas.
Um manual de humor primário e desinteligente.
Mas...
Sobe as audiências...
Mas...
Sobe a craveira mediática de uns tantos...
Mas...
Faz movimentar milhões!
Mas...
Ainda há quem não mude de canal e vá, por exemplo, para o National Geografic...
Eu, que em tempos, julgava saber um pouquinho de teoria e práticas educativas e de comunicação, comecei a revolver-me no sofá e tapei os olhos e os ouvidos a uma das minhas gatinhas para que nem ela visse nem ouvisse tantas bacoquices...
Lembrei-me do Manifesto Anti Dantas. Desliguei o televisor e fiz: PIM!

1 comment:

Estrelinha said...

Sabendo nós tão bem o que a vida agitada de hoje em dia nos impõe; sabendo que todos os membros das famílias trabalham a tempo inteiro, sabendo que saem de casa de manhã, quando ainda é de noite e que regressam de noite, quando já é quase manhã, continuamos sem prestar a devida atenção ao que é o dia-à-dia das crianças destas famílias...Ao chegar a casa os pais têm que fazer o jantar, preparar o dia seguinte...E as crianças ficam entregues à televisão: à Floribella, à Estrelinha, aos morangos que estão mais para azedos do que para com açucar...Enfim...E todos nós sabemos disto e ninguém faz nada, simplesmente deixamos as nossas crianças entregues a programas que substimam a sua inteligência, mais do que isso, que as estupidificam. Faço como tu: PIM! Vamos sair, ver o por-do-sol, vamos ficar encostados a uma qualquer janela a ouvir o riso das crianças, vamos ler um bom livro, poesia, Miguel Torga ou Eugénio de Andrade, de preferência. Beijinho, ana.