Thursday, March 29, 2007

Talvez amanhã...

Oiço Zeca Afonso.
Regresso ao passado em que, para mim, o melhor lugar era aquele em que eu não estava.
Há tempos assim. Há dias assim. Tudo é efémero: tudo passa, mas contraditoriamente tudo volta.
O Zeca diz que o «vento é meu amigo também», mas este vento não é meu amigo. Gela e fustiga mesmo as mais belas flores. Olho em frente e pouco vejo. O vento tudo arrasta e o frio pode secar as flores.
Recebo um mail. Sorrio. De facto, «qualquer um poderia ficar triste e desmotivado». Só tu para, na hora certa, te lembrares de me enviar a mensagem certa.
Há horas em que não é fácil lutar contra o tempo. Há minutos que duram horas incertas. Será que o tempo parou e eu não percebi?
Não!
Os meus gatinhos ainda olham
para mim e provocam as minhas brincadeiras.
Não!
Há de novo glicínias em flor e o jasmim é, cada dia, mais branco e cheiroso. Apesar do vento...
Amanhã talvez não sopre o vento nem o frio gele. Talvez... também eu vá «num barco à vela (...) cantando e dançando»...

2 comments:

lito said...

O vento é bom ou mau consoante o lado donde vem. Para o Zeca e para o Manelalegre era bom. Talvez sejas capaz de o colocar na melhor orientação.

Um beijo

Estrelinha said...

Bichi!
POrque estás triste?!
O vento é mau quando nos sentimos longe de quem gostamos!
Beijinhos